top of page

A Ressonância Magnética



Tive que fazer uma ressonância magnética.


Felizmente não sou o tipo de pessoa que fica angustiada ou tensa no "tubo". Vesti minha roupinha azul-laboratório e deitei. Me deram opções de reclinação para a cabeça, trouxeram mantinha e me perguntaram se eu queria ouvir música. Sim, claro, música é sempre bom! Qual? Poxa, fui meio pega de surpresa, me trouxeram algumas opções de playlist, gostei de várias, vamos nessa aqui!


Entrando no túnel, o primeiro pensamento é sempre se não vai rolar algum espirro ou coceira inesperados! Não vai não, pensamento positivo!


E soltam a música...


Aaaiiii...Nossa, e se eu chorar aqui dentro do tubo? Mil coisas passando pela cabeça, caramba, não devia ter escolhido esse playlist...Acho que a situação me tornou mais vulnerável...E vontade de chorar dá uma sensação meio de formigamento no nariz, socorro, só falta eu espirrar...E se eu der uma tremidinha por causa de algum soluço de choro interno? 


Zoim zoim zoim, tãtãtãtã, tac tac tac,...Para além da música comecei a prestar atenção nos ruídos da máquina, desfocar pra não chorar hahaha! Fiquei imaginando as ondas de radiofrequência perfurando meu corpo, passando por entre os órgãos, músculos, ossos,...Vem aquele momento de uau, como a ciência é fantástica! Como era possível viver somente com as imagens chapadas do Raio X? 


A música agora é outra, ufa, passou o aperto no peito. Quanto tempo já terá passado? Essas situações em que perdemos outras referências temporais nos fazem ter dificuldade em perceber se passou muito ou pouco tempo. Igual quando estou fazendo massagem, tem dias que 30 minutos passam rápido como se fossem 5 e em outros dias me pergunto se optei pela massagem mais longa, de 1 hora de tão devagar que o tempo passa...


-Tudo bem com a senhora? 


-Sim.


-Já está terminando.


E após mais 3 sequências de disparos invisíveis porém tão ruidosos, acabou.


Sou tratada como se tivesse uns 30 anos a mais, tome cuidado pra descer da mesa, olha o chinelinho da senhora, não esqueça os anéis.


Saindo da sala passei por outra em que a porta estava aberta e estava lá um senhor, colega de vestimenta azulzinha, já deitado. Será que ele escolheu escutar música também?


Ah, para que ninguém fique preocupado, fiz a ressonância como rotina, problemas de coluna.


Maria Tereza De Iuliis

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
bottom of page