top of page

CASEI, BROXEI!


* fotografia assinada por Marcos Pacheco


Se não aconteceu com você, desculpe, vai acontecer, isso, isso mesmo, o casamento tem o

poder de acabar com o tesão das mulheres, dos homens não.


Não briguem comigo, só trago verdades, às vezes amargas como o fel, outras vezes doces como marshmallow.


Acompanhem e verão. Não tem como não se identificar.


Quero estrear no EU NÃO ANOTO NADA contando uma “coisinha” pessoal.


Eu achava lindo dizer que só transaria depois do casamento, sim, euzinha, sexóloga, mente aberta pra tudo, mas essa era eu até conhecer o primeiro com quem transei.


Isso foi aos 16 anos, era apaixonada pelo meu namorado, eu e a torcida do Corinthians, ele era o TUDÃO da região, se encantou comigo, eu já tinha meu charme aos 16 anos, bom, aí nem lembrava mais disso, dessa promessa pra mim mesma, acabei de lembrar agora.


Mas, o que quero contar aqui é que amando, apaixonada e cheia de hormônios, eu não

atingia o orgasmo com ele, nem chegava perto, era como se eu nem sentisse o pau dele dentro de mim, simples assim.


Ele era super bacana, me respeitava, não tinha nada de errado entre nós, ou que eu não quisesse fazer, ele até tentava me ajudar, mas não rolou.


O que eu fiz? Fui à ginecologista.


O que ela disse?


Olha só: - Menina, sexo é assim mesmo, não é tudo isso que

as pessoas falam.


Saí de lá frustrada, encruada, decepcionada, desolada, acabada... Porque eu já me tocava e adorava nas minhas fantasias, com outra pessoa seria melhor ainda, era óbvio que seria melhor, mas não foi COM ELE.


É por causa de médicas assim que muitas mulheres vivem em um relacionamento achando que “casamento é assim mesmo” e tendo certeza de que estão fadadas a viverem em um casamento sem prazer, só com obrigações diárias e intermináveis.


O que acontece em um casamento que faz com o desejo da mulher praticamente “seque”, é a maneira como as mulheres olham para aquele homem com quem se casaram. O olhar muda completamente, ela passa a olhar para esse homem como o seu protetor, aquele que dá segurança.


Eu sei que você deve estar pensando “mas isso é obvio, a gente precisa se sentir segura em um relacionamento para se entregar”


Hummmm, não sei se você vai gostar de continuar lendo, pode parar se quiser, deixar de lado, porque vai piorar, já te falo que vai.


Quem protege a gente na vida é nosso pai, certo? Ou deveria ser, né? O mesmo que nos dá segurança e tudo o que a gente vai precisar na vida.


Quando estamos no jogo da conquista, neurologicamente nosso cérebro se modula a

conseguir alcançar um objetivo, liberamos mais dopamina, que nos dá a sensação de grandes emoções, somado à novidade de estar conhecendo aquela pessoa, isso faz a mulher SE descobrir como conquistadora, ela não está na zona de conforto, a sensação de conquistar é muito prazerosa, e na medida em que a mulher sente que aquele relacionamento está “garantido”, ela simplesmente “senta para descansar”, tira a persona de

conquistadora que a faz tão poderosa e atraente e é aí que a vida amorosa/sexual perde o brilho, porque ela se coloca em uma posição de guardar aquilo que ela conquistou, ela cuida até mesmo do marido como se fosse sua cria, mesmo aquelas mulheres que não tem filhos, tá?!


Essa é a herança instintiva que habita em nós mulheres.


É por isso que a mulher vai aos poucos deixando o desejo sexual por aquele homem minguar...


Então, por isso que eu digo que, se você não passou por isso de casar e broxar, você vai passar um dia.


Você vai deixar o desejo sexual daquela mulher conquistadora, separada pra os caras diferentes do seu par de vida, vai se encantar com aquele que te desafia e te coloca em uma posição de mulher deliciosa, aquele que te olha com tesão, sem dizer nada, ou que mostra que você vai ter que se descabelar para conquistá-lo, pronto, está ativada a fêmea que estava abandonada lá no quartinho dos fundos da sua casa...


Pega o batom, molha os lábios, passa a língua e sai jogando o cabelo para os lados, andar solto, boca semi aberta...


Pra terminar minha apresentação, desejo que você perceba em que momento isso aconteceu no seu relacionamento de longa data e que VOCÊ MESMA se ative sexualmente e nunca se acostume com a frase que a médica infeliz e acomodada no casamento dela, me disse. Nunca mesmo!


Eu não me conformei com a frase dela, deve ser por isso que me tornei psicóloga e sexóloga.


Muito prazer,


Marina Vasco

コメント

5つ星のうち0と評価されています。
まだ評価がありません

評価を追加
bottom of page