Li Cunxin



Lembro-me como se fosse hoje... cheguei no estúdio sem saber para onde iria, entrevistar quem... Foi uma matéria de última hora.


Tati, você vai entrevistar Li Cunxin. Ele está no Brasil para divulgar seu livro: "Mao's Last Dancer" - em português: "Adeus China: O último bailarino de Mao".


Ok. Só que tinha um "pequeno" detalhe... eu não sabia quem ele era e não tinha lido o livro.


Eu nunca entrevistei ninguém fingindo que sabia algo que não soubesse. Sempre fui muito clara com os entrevistados. Minha "técnica" era conversar um pouco antes da entrevista para conferir as informações que eu tinha, qual o direcionamento das perguntas... assim eu conseguia um melhor resultado. Só que normalmente eu já tinha quase todas as informações da pessoas.


Nesse dia eu só sabia que meu entrevistado era chinês, bailarino e que havia escrito um livro... não sabia nem em que língua iria me comunicar... pois é... não tinha Google!


Morrendo de vergonha, cheguei no local de entrevista. Me apresentei e decidi logo de cara falar a verdade.


Comecei me desculpando. Expliquei que sabia que era inadmissível ter ido entrevistá-lo sem nem ao menos ter lido seu livro.


Mais do que humildemente, pedi, se seria possível, que ele me contasse um pouco para que eu pudesse conduzir a entrevista.


Foi aí que o tempo parou. Na minha frente estava a pessoa mais humilde, delicada, educada, simpática que eu já conheci na vida!


Um inglês impecável! Fala mansa, tranquila, suave.


Tive a oportunidade única de ter o autor e personagem principal da história, na minha frente, contando sua história. Uma história incrível!!!! Impressionante.


A entrevista seguiu... choramos... rimos...


Eu não vou contar mais detalhes porque estaria contando a história. O legal é conhecer pelo livro. Ah! Tem um filme também!


Eu já li muitas vezes o livro e assisti o filme muitas outras... Não me canso!


Li me disse que tinha vontade de assistir uma partida de futebol! Levei ele a um jogo! Aquela pessoa tão especial, com uma história de vida tão profunda estava ali, ao meu lado, se divertindo com um simples jogo de futebol.


Infelizmente eu perdi contato... fiz algumas tentativas através das mídias sociais mas não tive sucesso.


Muito provavelmente eu não marquei pra ele o quanto ele marcou pra mim.. rsrsr


Levarei Li e sua história dentro de mim pra sempre. Uma lição de vida! Sempre que me vejo em uma situação difícil, eu lembro dele... isso sempre me deu forças.


Li, MUITO Obrigada pela oportunidade de ter conhecido você!


Tenha certeza que o MUNDO estará sempre te aplaudindo de pé!


Minhas lembranças são, além das poucas fotografias, seus autógrafos... para mim e na versão infantil, para meus filhos..

*Se eu tiver a sorte e Li Cunxin ler meu texto, preciso que ele esteja também em inglês!*



*If I'm lucky and Li Cunxin reads my text, I need it to be in English too!*


I remember it as if it were today ... I arrived at the studio not knowing where I was going, interviewing who ... It was a last minute story.


Tati, you are going to interview Li Cunxin. He is in Brazil to promote his book: "Mao's Last Dancer" - in Portuguese: "Adeus China: O último bailarino de Mao".


Okay. Except there was a "little" detail ... I didn't know who he was and I hadn't read the book.


I never interviewed anyone pretending I knew something that I didn't. I was always very clear with the interviewees. My "technique" was to talk a little before the interview to check the information I had, what the questions were about ... so I got a better result. Except that normally I already had almost all the information about them.


On that day I only knew that my interviewee was Chinese, a dancer and that he had written a book ... I didn't even know in which language I would talk in ... Google didn’t exist at that time.


Dying of shame, I arrived at the place I was going to interview him. I introduced myself and decided to tell the truth straight away.


I started by apologizing. I explained that I knew it was unacceptable to have gone to interview him without even having read his book.


More than humbly, I asked, if it were possible, that he tell me a little bit so that I could conduct the interview.


That's when time stopped. In front of me was the most humble, delicate, polite, friendly person I have ever met!


Flawless English! He spoke softly, calmly.


I had the unique opportunity to have the author and main character of the story, in front of me, telling his story. An incredible story !!!! Impressive.


The interview followed ... we cried ... we laughed ...


I will not tell more details because I would be telling the story. The cool thing is to know through the book. Ah! There's a movie too!


I've read the book many times and watched the movie many more times ... I can't get enough!


Li told me he wanted to watch a soccer match! I took him to a game! That very special person, with such a profound life story was there, beside me, having fun with a simple soccer game.


Unfortunately I lost contact ... I made some attempts through social media but I was unsuccessful.


Most likely I he made a much bigger difference in my life than I made in his....


I will take Li and his story with me forever. A life lesson! Whenever I find myself in a difficult situation, I remember him ... it always gave me strength.


Li, THANK YOU so much for the opportunity to meet you!


Be sure the WORLD will always be cheering for you!


My memories are, besides the few photographs, his autographs ... for me and in the children's version of the book, which he made out to my kids.


tati






*clique AQUI para mais textos da Tati Montenegro.