NORMAL




Aqui estou eu, depois de muito tempo sem escrever, meio sem saber sobre o que escrever ainda.

Estamos todos meio que sem novidades e com um só assunto né? Assunto esse que ninguém aguenta mais falar e nem ouvir.

Os dias passam e nós vamos seguindo nessa montanha russa... um dia parece que vemos luz, no outro o mundo desaba de novo...

Difícil se manter emocionalmente nisso tudo.

Já passei por muitas fases... acho que agora entrei numa meio apática... deve ser exaustão.


Mas o que me fez escrever foi ouvir o ator Tony Ramos falar logo após ter sido vacinado... acho que foi a coisa mais inteligente que ouvi nessa pandemia... ele disse: - Daqui a pouco, vamos estabelecer uma vida nova. Não um “novo normal, eu prefiro dizer, vamos voltar ao normal.”.


É isso! Ninguém quer “novo normal”! Socorro! Tanta gente passou tanto tempo discorrendo sobre o que seria isso, como seria e como era certo que assim seria...


Acho que hoje, nem quem criou teorias deseja viver um “novo normal”, todo mundo quer mesmo é voltar ao normal! Todo mundo quer a vida de volta, sair dessa guerra sem fim, desse pesadelo, desse passar os dias com medo, dessa insegurança desumana que nos desafia parecendo ser infindável.


Não é a volta das aglomerações, festa etc... é sobre poder ir para escola, beijo de vó, ouvir histórias de vô... é sobre cantar parabéns pra você, assoprar bem forte as velhinhas e fazer um pedido... é sobre tomar sorvete com amigos e gargalhar alto... é sobre poder sonhar em conhecer lugares novos, pessoas novas... é sobre não precisar ter bolha... sobre poder voar... é sobre poder querer.


É sobre poder sorrir e ver os outros sorrindo... os olhos falam muito mas não conseguem substituir a boca.


É sobre até, roer as unhas... lamber o dedo quando suja de doce.


Sobre o pipoqueiro, o milho da praia... sobre descobrir aquele segredo ao beber no copo do outro... sobre lotar o carro com amigos, dormir 20 em um quarto na viagem... sobre dançar de olhos fechados no meio de todos aqueles que amam a mesma música...


É sobre começar aquele curso novo e ficar animada em conhecer pessoas novas, histórias novas, encontros novos.


É sobre o que tem que ser novo, a continuação das nossas histórias.


É sobre poder celebrar as fases da vida, sobre poder estar presente nas despedidas...

É sobre querer cantar alto no chuveiro! Sobre poder ter alegrias!


É sobre viver sem checklist. É sobre normal não ser sinônimo de novo e nem ser passado.


Não sei o que levaremos disso tudo, sei que não serão só as máscaras, sei que teremos mais cicatrizes, mais calos, menos cabelos, mais cabelos brancos...


Sei que não seremos os mesmos... mas poderemos fazer as mesmas coisas.


Acho que o desejo comum é “só” poder voltar a viver e não só sobreviver.


É, vai passar... mas não passou ainda.


O que podemos ter hoje é FÉ.


Meus profundos sentimentos aos amigos e familiares dos que se foram.

Minhas energias de luz aos que estão na batalha.

Minhas preces com profundo pesar aos que ainda não entenderam.

Meu abraço apertado aos que, como eu, aguardam o fim da história sem ter muito o que fazer.


Se cuidem!

tati





*clique AQUI para mais textos da Tati Montenegro.