O Isolamento


Pois é… EU NÃO ANOTO NADA estava voltando quando de repente TUDO parou… ou era para parar, já nem sei mais. Quando parou, o que não parou mais foram as notícias mais escalafobéticas que eu já vi na minha vida.

Aí começaram também os infindáveis manuais: "Como Sobreviver a uma Pandemia" ou "Como Lidar com o Isolamento" além dos infindáveis e imperdíveis cursos on-line… já estava me esquecendo das "LIVES"!

Afffffff… só isso que eu digo para poupar os leitores de expressões mais fortes. Por que a necessidade de criar protocolos até para o caos? Por que o desespero de encherem a nossa vida de compromissos imperdíveis? Por que guias para sobreviver ao SEU marido e SEUS filhos?

Quando foi que conviver com suas escolhas passou a ser um problema? Quando foi que passou a ser necessário alguém de fora dizer o que você deve fazer dentro de você, da sua casa, da sua família?

Ou eu sou mais louca do que me considero ou o mundo perdeu a noção.

Eu tenho 1 marido, 3 filhos e 3 cachorros. Acredito ser bastante para administrar dentro ou fora de uma pandemia… Trabalhando ou não, meus papéis não mudam… é aquela história repetitiva da mulher que acumula pratos para equilibrar.

Você trabalha? Ok. Casou? Agora você trabalha e virou esposa.. isso na minha visão, significa que foi instaurado o primeiro pilar de sustentação da família (e ele é você). Teve filhos? Agora você trabalha (talvez pause isso, talvez não), é esposa, é mãe e o tal pilar se solidifica mais ainda…. e por aí vai… você não troca um prato por outro, você adquire mais para equilibrar.

Aí entra a parte repetitiva.. você TEM que ser magra, TEM que fazer exercícios, TEM que ter unhas e cabelos saudáveis, TEM que meditar, TEM que saber cozinhar, TEM que andar na moda, TEM que viajar para lugares maravilhosos, TEM que conhecer E frequentar restaurantes interessantes, TEM que entender de política, TEM que tem muitos amigos, TEM que estar em TODAS as reuniões das escolas de TODOS os seus filhos, TEM que ter uma dermatologista, TEM que ter TWITTER, INSTAGRAM, FACEBOOK, LINKEDIN, SNAPCHAT e TIK TOK (por TODOS os seus filhos estão por lá e é melhor entender o que rola)....AH! E TEM que tirar nota 10 sendo mãe na pandemia durante o isolamento! As crianças são o futuro, o emocional deles precisa ser cuidado e protegido para não gerar um trauma pós pandemia! Poderia continuar por MUITO tempo citando os "TEM que", mas vou pular para a REALIDADE…

O lance continua sendo o seguinte, é a mesma história que lá em 2013, quando surgiu o EU NÃO ANOTO NADA, começamos a falar… nem tudo é POSSÍVEL!!!!!!!!!!!

Você só TEM que é sobreviver a tudo isso sendo e fazendo o que dá, dentro do seu POSSÍVEL! Não dá pra ser TUDO! Isso não existe! Vamos TODOS sempre falhar dentro e fora de pandemia ou isolamento! Faça o SEU melhor é o máximo que podemos fazer.

Eu passo 24hs no isolamento com meus filhos, marido e cachorros. Eu acompanho as aulas virtuais dos 3… cada um tem uma demanda da minha atenção de forma diferente mas TODOS precisam de mim. Todos nós precisamos comer… no mínimo são 3 refeições… aí vem a história da louça brotando sem parar na pia, das roupas sujas para serem lavadas… toalhas, roupas de cama… banheiros a serem limpos, quartos, salas, COZINHA e claro a tudo isso, no meu caso se adiciona o básico dos cuidados dos 3 cachorros.

Meditei algum dia? Não. Fiz algum curso online? Não Dormi algum dia à tarde? Não Trabalhei nas minhas coisas? Muito menos do que gostaria e precisava. Look Pandemia? Pijama e pés descalços cultivando uma espécie de casco com cabelos SEMPRE presos do jeito que dá.

O que aprendi nesse isolamento? Além de desinfetar o universo? Aprendi como fazer uma redação para o ENEM, aprendi a fritar carne no sal grosso, aprendi a fazer Tie Dye, aprendi a ficar sem jogar Candy Crush antes de dormir, aprendi mais sobre como meus filhos me veem, aprendi a pedir ajuda entre tantas outras coisas… aprendi MUITO!

Qual será meu "novo normal"? Além que não desistir de desinfetar o mundo? Eu acho que é aprender a rezar mais para entender e aceitar que o mundo que vivemos não é e parece que NUNCA será normal.

Mudei como pessoa? Sim! Como venho mudando desde que nasci através de cada vivência. Evoluí? Sei lá.. vou deixar essa pra quem for me julgar no final da minha missão nesse planeta.

Ah!! Tava esquecendo! As lives!!! Assisti alguma? NUNCA na hora, só gravada. Saudade dos amigos? Saudades dos abraços, do toque… abraço é uma sensação ÚNICA! Primeira coisa a fazer quando tudo isso passar? Gravar cada sensação dos meus filhos ao voltar para a escola e amigos… ele sim sairão dessa com outra visão do mundo e valores… eles ainda estão trilhando seus caminhos e fazendo suas escolhas. Eu já fiz as minhas, só preciso administrar… eu me isolei com as minhas escolhas, com meus bens mais preciosos que, por enquanto, ainda são "só meus". Eu tive o privilégio do mundo parar e aumentar meu tempo com o mundo que criei para mim.


Quantas vezes reclamamos que filhos crescem muito rápido, que deixam de conviver com a gente quando passam a ter mais a própria vida? Então...o tempo parou. Nesse tempo eu voltei a viver a época que tive com eles quando bebês só que agora pude entrar nas salas de aula, pude ter todos os amigos de todos dentro de casa, pude estar ao lado em TODOS os momento de felicidade, ansiedade, raiva, frustração e pude fazer parte, pude ajudar! Nada aconteceu nesses dias que eu não ficasse sabendo… eu tava lá em tudo!

Esse excesso não deve ser tão bom pra eles rsrsrs isso é coisa de mãe. Eles precisam viver no mundo fora de casa, mas eu já vivi, não preciso da mesma forma. Minha família é meu maior projeto e esse tempo tem me permitido tentar aprimorar, corrigir meus erros e tê-los novamente no meu colo como eu tinha quando eram bebês.

Egoísmo? Talvez rsrsrs Mas não fui eu que isolei, fomos isolados! Eu só aproveitei!

Que tenhamos proteção e ajuda divina para encarar o futuro com ou sem vírus ou pandemia… existe um futuro. Futuro esse com viagens mais constantes ao espaço, com conscientização e mobilização maior sobre diversos assunto tão antigos e tão mal resolvidos. Futuro onde viverão nossos filhos, netos…

Desejo que saibamos fazer da melhor maneira possível as nossas escolhas com entendimento que tudo tem consequência e que a viveremos.

Case com quem você ama e entenda o tal "na alegria e na tristeza, na saúde ou na doença..". Viva os filhos que teve.

Agora em relação ao lavar, passar, limpar e cozinhar e desinfetar freneticamente 24hs por dia eu aceito indicação de grupo de apoio pós isolamento!

tati




*clique AQUI para mais textos


© 2020 - Eu não anoto nada - por Tati Montenegro

  • Facebook ícone social
  • YouTube
  • Instagram
  • Pinterest