top of page

Vem comigo!



Repara uma coisa. Já percebeu que quando você aprende uma palavra nova, de repente você escuta essa palavra em todo lugar? Parece que ela começou a existir junto com o seu conhecimento sobre ela. E quando você está pensando sobre um assunto e do nada ouve uma música, bate o olho em um livro na livraria, escuta um podcast exatamente sobre aquilo? Você já teve uma ideia que considerava brilhante e inovadora e pouco tempo depois recebeu uma mensagem para fazer um curso com aquela pessoa aleatória que vai falar justamente sobre o que você estava querendo fazer?


Bom, comigo isso acontece tanto, que eu já cheguei a querer parar de ter ideias, porque só de pensar eu sentia que precisava sair correndo para fazer o registro de marcas e patentes no INPI.


Eu não penso mais assim. Hoje eu fico impressionada é com a sintonia que a gente ajusta quando está muito em linha com alguma coisa. Por exemplo, agora. Eu estou escrevendo este primeiro texto aqui justamente porque um alinhamento de forças invisíveis fez meu querido amigo Marcos Pacheco ter um estalo e achar que valeria a pena me colocar em contato com a sua querida amiga Tati Montenegro, que achou que seria legal me encontrar num café para a gente se conhecer.


De fato, nos encontramos no café, conversamos por três horas e aqui estou eu, escrevendo a convite da Tati. Isso faz uma semana. Em tempos de “estou muito ocupada, minha vida está uma correria, vamos tentar marcar”, diria que batemos algum tipo de recorde.


Tem alguns meses que estou querendo falar com mulheres e para mulheres, que estou querendo ampliar meus horizontes e falar das coisas que se passam comigo, que se passaram comigo, de divulgar meu trabalho com pessoas que estão passando por um divórcio. Esse é um desejo meu antigo, mas de alguma maneira ele nunca tinha se manifestado assim, de verdade, com coragem, sem críticas ou julgamentos. Até muito recentemente, talvez 5 ou 6 meses atrás, quando essa vontade foi crescendo e ficando muito presente, urgente mesmo.


Minha aposta é que o que está em jogo aqui é essa sintonia. Esse momento em que fatores se alinham para que coisas fluam sem muita barreira, para que elas apareçam na nossa frente justo quando a gente está mais pronta para ver, para topar seguir adiante.


Estou te convidando a seguir adiante comigo. Vem?


Bia


*Photo by Marcos Pacheco



Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
bottom of page